A ArtVision informa que no próximo dia 5 de março (Feriado de Carnaval), estaremos encerrados, retomando os serviços no dia seguinte (6 de março).
Solicitamos a melhor atenção para que possa antecipar alguma interação com a nossa área técnica.
Desde já agradecemos a sua compreensão.

Atentamente,
Equipa ArtVision

As empresas de telecomunicações russas estão a considerar cortar momentaneamente a internet global no país para testar as leis de segurança nacional propostas e perceber o que acontece ao país caso a internet seja desligada no seu território.

Segundo indicam os meios de comunicação russos, as empresas de telecomunicação da Rússia estão a considerar cortar momentaneamente o país da internet mundial para que seja possível testar as leis de segurança nacionais que foram propostas.

O Grupo de Trabalho de Segurança da Informação, que é composto por telcos, recomendou a experiência para que seja possível testar as disposições do Programa Nacional de Economia Digital proposto. Esta lei, proposta no parlamento russo no final de 2018, tem como objetivo assegurar a capacidade da internet funcionar no país, mesmo que a Rússia fique sem acesso à rede global.

Também é proposto que todos os dados russos que passarem fora do país passem por pontos controlados pelo governo que farão a monitorização quanto a conteúdo ilegal, para além de garantir que o tráfego permanece dentro da Rússia tanto quanto possível.

Numa sessão do grupo de trabalho no final do último mês, as empresas de telecomunicações mostraram o seu apoio para com a lei, mas manifestaram dúvidas quanto à sua implementação, uma vez que seria tecnicamente impossível implementar alguns dos aspetos propostos. A sugestão do grupo de trabalho em questão foi a realização de um exercício prático que simule a desconexão da Rússia à internet mundial e perceber quais os efeitos que terá nas suas redes.

A lei de soberania da rede permitiria à Rússia desconectar o país da Internet global em caso de ataque. As disposições da lei tornariam possível, por exemplo, desconectar-se da Internet global se fosse necessário fazê-lo para impedir um grande ataque DDoS.

Fonte: IT Insight

A entrega e as regras da Informação Empresarial Simplificada (IES) e do SAF-T PT sofreram alterações que a sua empresa deve saber e que o seu software de gestão deve contemplar.
Para sua comodidade, conheça o resumo das principais mudanças a reter.

Quem está abrangido?
Empresas com contabilidade organizada ou se, enquanto empresário em nome individual, estiver obrigado à submissão do anexo A e I da IES, ou ainda, e em especial, se for contabilista certificado.

Principais datas a saber?
Com a nova portaria 31/2019 de 24 de janeiro, a maior parte das empresas terá agora de enviar ao fisco até 30 de abril o ficheiro SAF-T da contabilidade, o que permitirá que a Informação Empresarial Simplificada (IES) fique pré-preenchida, mas atenção, este prazo começa apenas em 2020.

IES pré-preenchida - Esta submissão prévia do SAF-T irá permitir o preenchimento automático prévio de vários campos dos Anexos A e I da IES, obtendo-se uma simplificação da entrega desses anexos.

Este prazo - Prazo fixado para que as empresas e contabilistas se possam adaptar às novas regras e também dar tempo à Autoridade Tributária e Aduaneira para se preparar para receber toda a informação que irá passar a ser enviada por milhares de empresas.

OE 2019 - Recorde-se que ficou também definido, com o novo Orçamento de Estado e a aprovação do e-fatura 2.0, que o ficheiro SAF-T da faturação irá também sofrer alterações na data de envio: as empresas passarão a ter de enviar a faturação mensal à Autoridade Tributária (AT) até dia 15 de cada mês, já a partir de fevereiro de 2019.

Principal alteração?
Com a nova portaria 32/2019 de 24 de janeiro, foi também aprovado o novo modelo de impresso do Anexo R da Informação Empresarial Simplificada, mas atenção, também esta alteração só será aplicável aos períodos de 2019 e seguintes.

Novo modelo - estarão incluídos novos campos para reporte de informação estatística necessária ao cadastro comercial da DGAE e foram introduzidas melhorias na informação atualmente já solicitada

Mas atenção - para as declarações de 2018 ou períodos anteriores mantém-se em vigor o modelo de impresso aprovado pela portaria 64-A/2011, de 3 de fevereiro.

Por fim, empresas que cessem atividade:
Deverão enviar à AT os dados extraídos do SAF-T da contabilidade até 60 dias após o fecho da empresa. No entanto, há exceção em 2019. Como é o primeiro ano, independentemente do mês de encerramento da empresa, o envio do SAF-T da contabilidade deverá ser só a partir do dia 01 de agosto.

1 de agosto - Considerando que a cessação de atividade seja igual ou anterior a 31 de julho.

OE 2019 - Recorde-se que para empresas que encerrem atividade, o OE 2019 veio alargar também o prazo de entrega de 30 para 90 dias do modelo 22 (declaração de IRC) e a IES.

Para informação pormenorizada consulte a portaria 31/2019 e a portaria 32/2019

Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência. Ao continuar a navegar neste site, está a concordar com o uso destes cookies. Saber mais. OK
VOLTAR AO TOPO