O prazo de entrega da declaração modelo 22 relativo ao período de 2017 foi prorrogado até ao dia 30 de junho.
O prazo de entrega, recorde-se, terminaria a 31 de maio. Contudo, em virtude de a aplicação de entrega da modelo 22 só dever estar disponível no próximo dia 30 de abril, a Autoridade Tributária e Aduaneira propôs o alargamento para 30 de junho do termo do prazo de entrega da referida declaração, relativa ao período de 2017, para os contribuintes que disponham de um período de tributação igual ao do ano civil, assim como do pagamento do imposto autoliquidado, o que foi aceite pelo secretário de Estado dos Assuntos Fiscais (SEAF).

Através do Despacho n.º 132/2018-XXI, de 9 de abril, António Mendonça Mendes, anunciou também que está a ser estudada, em articulação com a Ordem dos Contabilistas Certificados (OCC), uma revisão do calendário fiscal.

Despacho 45/2018 - XXI - Aceda aqui ao documento

Considerando que:
1. Está em fase de conclusão o processo de revisão do pacote legislativo referente à Declaração de Informação Empresarial Simplificada (IES), com vista à sua simplificação, com a supressão e pré-preenchimento de um vasto número de campos daquela declaração, através da submissão do ficheiro SAF-T da contabilidade;
2. As alterações anuais aos diversos formulários destinados ao cumprimento de obrigações declarativas implicam a necessária adaptação dos sistemas informáticos dos contribuintes, com o inerente aumento dos custos de contexto;
3. Haveria vantagem numa implementação faseada da nova IES, permitindo uma adaptação gradual dos operadores e da Autoridade Tributária e Aduaneira (AT);

Não serão propostas quaisquer alterações aos formulários em vigor, para a IES relativa ao exercício de 2017, devendo a AT:
i) Promover a divulgação, junto dos contribuintes, dos ajustamentos declarativos que se mostrem necessários;
ii) Desenvolver as alterações necessárias à implementação, no segundo semestre de 2018, das medidas de simplificação da declaração decorrentes da medida IES+ do Programa Simplex, designadamente prevendo que a nova IES seja aplicável ao universo dos contribuintes obrigados à entrega no segundo semestre de 2018 da IES relativa àquele exercício;
iii) Assegurar as condições necessárias para quem, em 2019, todas as IES relativas aos exercícios de 2018 e seguintes beneficiem desta simplificação, com a supressão e pré-preenchimento de um vasto número de campos daquela declaração, através da submissão do ficheiro SAF-T da contabilidade.
 
Lisboa, 2 de fevereiro de 2018.
 
O SECRETÁRIO DE ESTADO DOS ASSUNTOS FISCAIS,
António Mendonça Mendes

Pelo 12º ano consecutivo, a Sophos foi posicionada como líder no Quadrante Mágico da Gartner para plataformas de proteção endpoint.

A Sophos foi posicionada como Líder no Quadrante Mágico da Gartner 2018 para Plataformas de Proteção Endpoint. A Sophos tem sido selecionada como Líder em todos os dez relatórios desde a sua primeira publicação em 2007.

No relatório, a Gartner estipula que a definição de Plataforma de Proteção Endpoint (EPP) foi atualizada: A EPP é uma solução implementada em dispositivos endpoint para prevenir malware file-based, detetar e bloquear atividade maliciosa de aplicações de confiança ou não, e fornecer as capacidades de investigação e de correção necessárias para responder a incidentes e alertas de segurança. As organizações estão a investir cada vez mais em capacidades de proteção e de deteção dentro das EPP, e estão a desvalorizar a capacidade dos fornecedores de EPP de fornecerem proteção de dados, tais como prevenção na perda de dados, encriptação ou controlo de servidor.

“O cenário das ameaças está a evoluir de forma surpreendente”, diz Dan Schiappa, Vice-Presidente Sénior e Diretor-Geral de Produtos da Sophos. “Só nos últimos 12 meses vimos vários ataques ransomware que a proteção endpoint tradicional por si só não consegue proteger de forma adequada. Para se manterem na vanguarda da proteção endpoint, os fornecedores devem analisar continuamente o panorama e inovar a abordagem de proteção mais rapidamente do que os cibercriminosos inovam as suas técnicas de ataque. Acreditamos que o facto da Gartner posicionar continuamente a Sophos como Líder do Quadrante Mágico para Plataformas de Proteção Endpoint, demonstra que a Sophos tem a capacidade de inovar e oferecer soluções que as organizações de todas as dimensões podem utilizar diariamente. Prever potenciais ameaças é o futuro da proteção de segurança, e as capacidades de deep learning que adicionámos ao nosso portfólio estão a permitir-nos precisamente isso, mais eficazmente do que qualquer outro fornecedor de próxima geração.”

Para reforçar ainda mais os níveis avançados de proteção do seu portfólio endpoint, a Sophos anunciou também que adicionou uma rede neural de deep learning e tecnologia avançada anti-exploit à nova versão da solução Intercept X.

O Intercept X pode ser instalado em conjunto com qualquer software de proteção endpoint tradicional, de qualquer fornecedor, impulsionando imediatamente a velocidade e a precisão da deteção de ameaças.

A Sophos acredita que as suas tecnologias de proteção de próxima geração para posto de trabalho, servidor e rede vão reforçar a sua liderança e continuar a manter os seus clientes protegidos à medida que as ameaças evoluem. A tecnologia avançada de machine learning foi desenvolvida pela Sophos para reforçar as capacidades da Sophos Sandstorm e o seu poder de análise automática de ameaças nas instalações da SophosLabs em todo o mundo.

Conheça as soluções SOPHOS em www.artvision.pt/SOPHOS ou contacte-nos.

Fonte: IT Channel

Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência. Ao continuar a navegar neste site, está a concordar com o uso destes cookies. Saber mais. OK
VOLTAR AO TOPO