O Orçamento de Estado 2014 entrou em vigor no passado dia 1 de janeiro.
Apesar do mesmo já ter sido aprovado no Parlamento, ainda não foi publicado em Diário da República, no entanto poderá consultar o mesmo aqui.

Publicamos seguidamente algumas das alterações introduzidas pelo OE 2014:

    IRS - Em 2014, a generalidade dos rendimentos que excedem os 485 euros do salário mínimo continuarão a pagar a sobretaxa de 3,5% no IRS;
    IVA - Restaurantes e hotelaria vão continuar com uma taxa de 23%;
    IUC – Viaturas a gasóleo vão pagar mais de Imposto Único de Circulação em 2014, já que este sofre uma atualização de 1% e implicará um agravamento entre 1,39 e 68,85 euros;
    IRC - Em 2014, a taxa do imposto que incide sobre os lucros das empresas vai baixar de 25% para 23%. Foi ainda criado um regime simplificado para as pequenas empresas; a aplicação de uma taxa reduzida (17%) de IRC para os lucros inferiores a 15 mil euros e um agravamento da derrama para os lucros acima dos 35 milhões de euros.
O Ofício Circulado n.º 30156/2013, publicado no passado dia 18 de dezembro, trata da aplicação do n.º 14 do artigo 36.º do Código do IVA.

O documento reforça que todas as menções obrigatórias, nomeadamente os nomes, firmas ou denominações sociais e a sede ou domicílio do fornecedor de bens ou prestador de serviços e do destinatário ou adquirente, têm de ser inseridas pelo sistema informático nas faturas e que não é impedida a utilização de papel pré-impresso, vulgo papel timbrado. Desta forma, a repetição de elementos pode ocorrer.

O não cumprimento do disposto será sancionado na esfera do emitente das faturas. O período de adaptação das entidades finda a 31 de dezembro.

Caso utilize o papel pré-impresso, sugerimos que altere o formulário de documentos. Assim, pode colocar os elementos previstos no n.º 5 do artigo 36.º ou no n.º 2 do artigo 40.º do Código do IVA numa zona disponível do papel timbrado. Adicionalmente, pode reduzir o tamanho de letra a um mínimo, desde que seja perfeitamente legível.
A ARTVISION através do índice de CSAT (índice de satisfação do cliente) da Microsoft obteve um resultado de 100% nos indicadores de desempenho “Recomendação” e “Satisfação”.
Para além dos indicadores anteriores, a ARTVISION obteve ainda 77% na “Capacidade de atender as necessidades dos clientes” e 92% na “Competência técnica”.

Para além dos indicadores de desempenho, o CSAT da Microsoft, atribui igualmente benchmarks a cada um dos índices, sendo de constatar que em todos estes, a ARTVISION obteve médias superiores comparativamente com os restantes parceiros da Microsoft Portugal em análise.
O estudo foi realizado em novembro de 2013 e faz parte do programa de certificação de parceiros Microsoft Partner Network.

Acerca do CSAT da Microsoft
O estudo CSAT da Microsoft é um estudo independente e monitorizado pela consultora TNS, uma das maiores empresas de pesquisa de mercado do mundo para medição e análise da satisfação dos clientes.

Para mais informações consulte o site www.artvision.pt/Microsoft
Este site utiliza cookies para otimizar a sua experiência. Ao continuar a navegar neste site, está a concordar com o uso destes cookies. Saber mais. OK
VOLTAR AO TOPO